23 de mai de 2017

Praia do Futuro, em Fortaleza, está 100% imprópria


Amostras coletadas nos 11 pontos da orla leste de Fortaleza, onde está toda a faixa da Praia do Futuro, exibiram uma quantidade de no mínimo 2,5 mil coliformes termotolerantes (conhecidos como fecais) por cada 100ml de água do mar. Pela segunda semana consecutiva, todo o litoral leste de Fortaleza esteve impróprio para banho. O mar escuro e a comprovação de poluição se confunde à explicação de que são algas as responsáveis pelo tom amarronzado. Não há avisos sobre balneabilidade do local.
Muitos banhistas, entretanto, dizem não sentir — pelo menos de imediato — sintoma dessa poluição no corpo. Mas, identificam estranheza na cor e no cheiro da água. “Está muito marrom, escura e com um fedor também”, contou Álvaro, 9 anos. Justamente no fim de semana em que ele conseguiu fazer a mãe levá-lo para um mergulho, a Praia do Futuro estava imprópria para banho. “Tivemos de entrar, porque ele pediu muito. Mas, em casa o banho será reforçado”, alerta a mãe, a professora Cláudia de Sousa, 39.
Para o professor de surf Devlyon dos Santos, quando o mar está muito sujo, é possível ver restos de madeira e plástico. “Mas, essa coloração é mais por causa das microalgas, eu acho. Para a gente, que trabalha no mar, de um jeito ou de outro, temos de entrar”, disse.
Análise
A gerente de controle ambiental da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), Maira Brandão, afirma que em algumas amostras é possível identificar até 16 mil coliformes fecais por cada 100 ml de água. “Normalmente, pelo menos dois ou três pontos da Praia do Futuro ficam próprios. Deve ter chovido muito e aí carregou toda a sujeira das galerias pluviais, que estão cheias de esgoto”, explicou. Os dejetos são, segundo Maira, a principal fonte de poluição, e o tom escuro da água é por causa do líquido liberado pelas algas.
Em 2014, a Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) anunciou o projeto Orla 100% balneável, que faz parte do Programa Águas da Cidade. O órgão informou que o programa prevê ações de fiscalização, educação, captação de drenagem e tratamento de recursos hídricos. Sobre o que já teria sido executado, a pasta informou sobre a fiscalização em 19,5 mil imóveis localizados na vertente marítima e 460 autuações.
Semace
A assessoria de comunicação da Semace negou ao O POVO que a gerente de controle ambiental do órgão, Maira Brandão, tenha informado que algumas amostras analisadas podem apresentar até 16 mil coliformes fecais por 100ml de água coletada na Praia do Futuro. O POVO reafirma que as informações foram apuradas de forma correta e verdadeira. E solicitou à Semace dados detalhados sobre as análises individuais das amostras da Praia do Futuro, no sentido de especificar quantos coliformes fecais são encontrados em cada uma.
A gerente ressalta que afirmou que as galerias pluviais estão cheias de esgoto clandestino, não apenas esgoto. De fato, isso foi dito a reportagem.
Banho perto de esgotos
1) Sem nenhum aviso sobre balneabilidade, surfistas e banhistas entram normalmente na água da praia imprópria. 2) Um dos esgotos que deságuam no mar da Praia do Futuro abre vala no meio da areia e fica bem ao lado das barracas. 3) O tom amarronzado do mar não intimidava quem queria brincar na beirinha.
Fonte: O Povo

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...