2 de ago de 2018

PF confirma prisões de 21 empresários e de duas servidoras da Seduc

A Polícia Federal confirmou a prisão de 23 pessoas durante a Operação Topique deflagrada na manhã desta quinta-feira (02), que apura desvios de recursos federais da Secretaria Estadual de Educação (Seduc).
Delegado Leonardo Leite (Foto: Lucas Sousa / Portal AZ)
O delegado Leonardo Leite, que coordenou a operação, informou que os presos são em sua maioria empresários e pessoas ligadas a esses empresários, além de duas servidoras efetivas da Seduc.
Na oportunidade, os delegados iniciaram a coletiva ressaltando que o incêndio ocorrido na Seduc semana passada não teria relação com a operação deflagrada hoje é trata-se apenas de uma coincidência.
Foto: Lucas Sousa / Portal AZ
Entre os alvos da operação estão nove empresas usadas para lavagem de dinheiro e oito empresas de transporte.
De acordo com o delegado, as investigações tiveram início no anos e 2013 a partir de uma denúncia de contrato da Prefeitura de Campo Maior.
“Esses empresários fraudavam as licitações e faziam contratos superfaturados em consequência de uma subcontratação ilegal. Esses empresários se aliavam às duas agentes públicas que facilitavam a fraude”, detalhou o delegado.
Foto: Lucas Sousa / Portal AZ
Eles serão indiciados pelos crimes de lavagem de dinheiro, fraudes à licitações, e desvio de recursos.
A PF não quis fornecer maiores detalhes sobre a identidade dos presos e e dos alvos da operação.

Operação Topique

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira a “Operação Topique”para desarticular organização criminosa responsável por fraudes em licitações e desvio de recursos públicos destinados à prestação de serviços de transporte escolar ao Governo do Estado e Prefeituras Municipais nos Estados do Piauí e Maranhão, custeados pelos recursos do Programa de Apoio ao Transporte Escolar (PNATE) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB). 
As equipes chegaram cedo da manhã na sede da Secretaria de Educação do Estado do Piauí (Seduc).  Foram cumpridos 14 mandados de prisão preventiva, 9 mandados de prisão temporária e 40 mandados de busca e apreensão, nos municípios Teresina/PI, São João da Serra/PI, Olho D’Água do Piauí/PI e Coelho Neto/MA. A deflagração contou com a participação de 170 policiais federais e de 9 auditores da CGU. 
A investigação revelou a existência de um grupo de empresas que vêm atuando conjuntamente na realização de fraudes em licitações, com a participação de agentes públicos, resultando na contratação do objeto da licitação com valores superiores ao valor real do serviço, causando um prejuízo aos cofres públicos na média de 40% dos valores pagos às empresas contratadas. 
As empresas investigadas receberam, entre 2013 e 2017, pelo menos R$ 297 milhões pagos por mais de 40 prefeituras municipais e pelo Governo do Estado do Piauí, envolvendo transporte escolar e locação de veículos. O valor do potencial prejuízo ao erário no período é superior a R$ 119 milhões. 
Fonte: Portal AZ 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...